30/12/2008

carta de Amor para 2009 a 2 mãos e 3 olhares

Um ano, dois anos, três anos,... 54 anos e as passagens são feitas repetitivamente.
Dão voltas ao calendário lendário do tempo numerado, não vá acontecer um milagre e ninguém saiba contar para a história a exactidão do acontecido.
Não. Não é num passo de mágica de 12 desejos de uvas passas e um brinde de espumoso que poderá eventualmente ser champagne genuíno, que se rasgarão véus ou nascerão flores em lamas de petróleo.
E, de milagres precisamos tanto!
De um raio incisivo ou asas de uma pomba branca que toque corações desalmados. Armados.
De um milagre dos pães, não multiplicados mas divididos, para que não estoirem uns de tanto e possam viver outros com um pouco.

Precisamos de Amor!

«Vou escrever-te mais um bocadinho.
É que me faltava dizer-te
que gostei muito da vida apesar de ter visto tanto sofrimento.
É que vi muitas provas de amor.
O nosso, o que os outros me tiveram,
o que pude ter pelos outros. Isto dá-nos esperança para saber que é possível um mundo de amor.
Vivi só para esse mundo
e nenhum outro me interessa.
Fico espantada quando penso nas
pessoas que vivem completamente
desligadas dele.







Tenho a sensação que ainda não entraram no mundo verdadeiro, que têm andado por aí enganadas e que só aqueles que vivem do amor as poderão salvar com o amor que lhes derem mesmo sem elas quererem.
Tu dizias-me uma vez que temos que aprender a amar os ricos e os poderosos. O amor não precisa de ser correspondido. A gente ama-os e pronto.»


«Depois, tomei consciência de que o mundo da fé, como tudo o que por aqui se passa, estava profundamente ligado ao mundo dos afectos.»

Quero dizer-te também que não fazes nada de extraordinário amares quem te ama ou apenas aqueles de quem gostas, isso é fácil e a facilidade fecha-nos num mundo vazio de actos grandiosos e apagado de vislumbres. A verdadeira prova da grandeza da alma humana é amar quem não admiramos, quem não nos ama. É vermos neles o Homem com todas as suas fragilidades e complexidades. São essas pessoas que nos dão a oportunidade de exercermos a tolerância e a paciência. Digo-te que não é fácil, nada fácil. Mas esses são os degraus que nos fazem chegar ao topo da tal montanha de que tanto gostamos de mencionar. Que nos trazem serenidade e nos lançam para a claridade. Que nos fazem compreender o verdadeiro sentido da vida.








«Não tenho medo da morte porque a vida eterna não começa depois da morte. Começa aqui na terra, perante
a escolha que fazemos de acompanhar com amor as alegrias e as tristezas dos outros. Deus não terá que
nos julgar.
O julgamento é feito todos os dias perante aquilo que andamos a fazer. Também não me
impressiona morrer sem compreender o que é Deus.
Se eu O compreendesse é porque não era Deus.»


por fim
«A consciência da complexidade do viver leva-me a pôr de parte as
amarguras e as melancolias metafísicas. Por um lado, sinto que o tempo e o universo me olham com indiferença e distância e que, para eles, a minha história pessoal poderá ser considerada como a daqueles pobres que eu vi a dormir, lado a lado, ao longo dos passeios de Bombaim, quando, uma noite, seguia de táxi para o aeroporto da cidade. Por outro, tenho a simultânea convicção de que tudo o que é importante se forma a partir da consciência da nossa história pessoal, por mais pobre e monótona que ela seja.»










Desejo a todos sem excepção (aos "Fifas" também), que o ano de 2009 vos ofereça tudo aquilo que mais desejam e vos faça felizes.



Com muito amor

mié







Excertos: O Tecido do Outono, de
António Alçada Baptista retirados do Blog Catharsis da Ana Paula, que sem lhe pedir permissão, permiti-me trazê-los. Obrigada Ana Paula.

Fotografias de Jerry N.Uelsmann, Robert & Shana ParkeHarrison e mié

19 comentários:

  1. Eu é que agradeço tão belo "roubo". Mié! Ficou ainda mais lindo!

    Tenho a certeza de que o teu 2009 vai ser grandioso, radioso e repleto de amor! Tu mereces!

    Um abraço e um beijinho grandes. Sempre com o Roads em 2009! :):)

    ResponderEliminar
  2. "... não existem milagres que rasguem véus ou façam nascer flores nas lamas do petróleo."


    re.cito o prodígio das tuas palavras. algures ... sopradas ao vento. levo.te para 2009




    pétalas de admiração




    iv *** **

    ResponderEliminar
  3. re.tomo no olhar as tuas palavras e as da IV.

    do António resguardo-lhe a ternura dos anos atravessados pelos gestos em comum.


    deste post resgato a luz.
    TUA!

    e deixo a água que seja raiz continuada.


    beijos. e beijos.



    (mulher da minha idade) :)

    ResponderEliminar
  4. Desejo-te tempo, tempo para a vida.
    Desejo-te tudo o que tu quiseres!

    um bjo e Bom Ano!

    ResponderEliminar
  5. Não te deixo palavras.
    Seriam inúteis.

    Prefiro que sintas o abraço quente que te ofereço.
    Com amor.

    E um beijo...

    ResponderEliminar
  6. Ora não te conhecia! Ainda bem que me deixaste as tuas palavras. Vou seguir-te porque senão perco o fio a esta meada...bom ano e beijos.

    ResponderEliminar
  7. corações armados de amor.



    tudo o que é importante.



    todos os dias.



    e sim. também gosto muito de ti.:)



    um abraço.

    ResponderEliminar
  8. Querida Mié, sensibilizado, muito sensibilizado com esta tua mensagem, uma mensagem que revela um ser humano de grande alma, como já sabia que eras.

    Faço dois votos para o teu Novo Ano; o primeiro é que concretizes alguns daqueles sonhos que julgas serem impossíveis e, o segundo, o mais importante, que sejas feliz, muito feliz.

    Enorme abraço.

    ResponderEliminar
  9. Mié,


    Uma das mais belas cartas de amor que tive oportunidade de ler!


    Só esse mundo te interessa. Nos interessa.


    Que a paciencia e a tolerância, que tanto treinamos neste último ano, sejam semente do amor ao longo dos anos vindouros.


    Embora desconheça o que os grandes senhores do mundo, decidirão fazer deste ano que agora se inicia, eu decidi pela paz e pelo gesto.


    E solto-te um abraço.


    Que te agarre e afague no coraçáo.

    ResponderEliminar
  10. Bom ano Mi+e.

    Um Feliz e saudável 2009
    para ti........

    ResponderEliminar
  11. Que 2009 seja um ano cheio de amor,saúde, alegria e porque não..mais algum dinheirito. Dar, dar, dar e dar. Tu faze-lo 365 dias por ano. Desejo muito que recebas em dobro todos os dias.
    O "Fifas" retribui os votos. Entrou em 2009 muito sereno e alheio a tudo que se passa à volta. Reformou-se. Come e dorme.Merece este descanso.

    Um beijo grande e um xi mto apertado

    Tu manita

    ResponderEliminar
  12. Um Feliz 2009!
    Com tudo de bom e sobretuso um olhar de crença no amanhã de cada dia seja ele cinzento, nebluosso, molhado ou radioso. Um acto de vida .
    Bjinho.

    ResponderEliminar
  13. E calaste-me... e este silêncio de miuda que poucas vezes faço... fiz-te
    .
    .
    .
    contemplo-te em colo
    Na incapacidade de falar do fundo de nós, que é sem duvida... in.divino... de Deus presente na supremacia do Amor
    .
    .
    Só te falha os 54 anos... risos
    Digo-te que é desta que me submeto e me converto à psicanalise (esta não é para compreender, delírios da fase psicotica)
    .
    Mas sim... gosto.te
    Srª Dona algodão doce
    Feliz 2009
    por aqui fico

    ResponderEliminar
  14. Ahhh
    agora sim
    Eureka
    .
    .
    .
    Agora faz todo o sentido, principalmente para mim... leres em 198...(e troca o passo)Marguerite Yourcenar
    .
    .
    não diria
    e retiro-me em vénia
    (não ligues, continuidade da fase de delírio)

    ResponderEliminar
  15. Não consigo ter a serenidade de amar quem não me ama. Não consigo assim subir ao topo da montanha... mas admiro-te muito daqui de baixo.
    Tués... tu sabes o que penso!
    Um beijo enorme, Mié.

    ResponderEliminar
  16. Querida Mié!
    Lindo, belíssimo texto!
    Fez um bem danado ler este seu post. Como aliás, todos seus testos copiados ou não não. São sensíveis e nos tocam lá no fundo da gente.
    Obrigada pelas palavras e visitas.
    Bom 2009 para todos nós.
    Beijo

    ResponderEliminar
  17. Foi muito bom ler este texto excelente. Precisamos de um milagre qualquer, sim. E de amor. E de capacidade de sonhar. Um beijo.

    ResponderEliminar